Ainda dá tempo de contribuir para a vida de uma pessoa com deficiência

31 de janeiro de 2017 | 14:54

Campanha para arrecadar fundos para aquisição de cadeira de rodas tem prazo estendido até o dia 27/2.

Para impactar ainda mais pessoas para a causa da pessoa com deficiência, a Campanha Roda Gigante, ação do Instituto Mara Gabrilli em parceria com Revista Vida Simples, estará disponível no site de crownfound Kickante até o dia 27/2.  Foram arrecadados até o momento 65% da meta de R$50 mil. Uma cadeira de rodas, com todas as adaptações necessárias, custa cerca de R$4,500.

A partir de R$ 10 já é possível contribuir com a campanha, cujo objetivo é angariar recursos para a aquisição não só de cadeiras de rodas, mas adaptações e outros tipos de órteses que uma pessoa com deficiência precisa para se locomover e viver com dignidade.

Ao final da campanha, o Instituto Mara Gabrilli fará uma prestação de contas sobre a arrecadação e o recebimento das cadeiras. Quem quiser acompanhar, basta acessar a página do IMG no Facebook.

Assista ao vídeo da campanha feito com a fundadora do Instituto Mara Gabrilli

A triste realidade do brasileiro com deficiência

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), só no Brasil, cerca de 2 milhões de pessoas precisam de uma cadeira de rodas para se locomover, mas apenas 10% consegue ter acesso ao equipamento fornecido pelo Sistema Único de Saúde. A média de espera dessa população é de cerca de 2 anos, mas em alguns estados pode chegar a cinco.

Muita gente não sabe, mas a necessidade de uma pessoa com deficiência vai muito além da cadeira de rodas em si. O equipamento que uma pessoa com paralisia cerebral precisa não servirá para alguém que tenha tetraplegia, por exemplo. A estatura, peso e idade também fazem diferença para o tipo de cadeira. Uma criança precisa de banco e encosto para o tamanho de seu corpo até uma certa idade. Com o passar do tempo, ela crescerá e a cadeira já não servirá mais.

Devido ao tipo de deficiência e suas necessidades específicas, muitas pessoas não conseguem utilizar a cadeira oferecida pelo Sistema Único de Saúde. Por isso, quando se fala em alto custo de uma cadeira de rodas, deve-se ter em mente não só o valor do equipamento, mas todas as adaptações e materiais que serão utilizados, como a espuma do assento, que precisa ter a densidade correta para possibilitar maior durabilidade e conforto, além das adaptações em si – todas feitas por um profissional de forma manual, após medição do equipamento e consulta postural.

Clique aqui e veja mais informações sobre a campanha Roda Gigante

Informações para Imprensa
Flavia Fusco Comunicação
11.3083.1250
cris@flaviafusco.com.br
www.facebook.com/flaviafuscocomunicacao