Atletas do Instituto Mara Gabrilli garantem pódios na 1ª etapa do GP Paulista de Paraciclismo

Atletas do Instituto posam juntos comemorando

No domingo (18/2) os atletas do Projeto Próximo Passo, ação do Instituto Mara Gabrilli, marcaram presença na 1ª etapa do GP Paulista de Paraciclismo, competição que aconteceu na cidade de Taubaté e reuniu atletas do ciclismo paraolímpico nas categorias Handcycle (H), Cycle (C), Triciclo (T) e Tandem.

Jéssica Moreira, campeã paulista de handcycle na categoria H3, garantiu o primeiro lugar na competição. Ela está no IMG desde meados de 2016 e ocupa a sexta colocação na Copa do Mundo de Paraciclicismo. No ano passado, ela conquistou o segundo lugar no Campeonato Brasileiro de Paraciclismo de Estrada e na Copa Brasil, além do primeiro lugar na SP City Marathon.

Garantindo também o primeiro lugar na competição, Rebeca Barreto competiu pela classe H4. Em 2016, ela foi medalha de ouro em sua categoria em uma Etapa da Copa Brasil de Parciclismo. Este ano, depois de um período parada em 2017, ela retoma com tudo no paraciclismo.

Atleta Jessica posa no pódio na cadeira de rodas com a mão na cinturaMauricio Dourado, que recentemente passou a fazer parte do time do IMG no paraciclismo, também garantiu o ouro pela classe H3. Entre 1995 e 1997, ele foi atleta profissional de ciclismo (mountain bike), tendo garantindo diversos títulos de expressão. Na época, após sofrer um acidente durante um treino, ele lesionou a medula e ficou paraplégico.

No início do ano passado, ele resolveu investir no paraciclismo e já conquistou diversos pódios, como a prata no Campeonato Brasileiro de Paraciclismo (prova Team Relay), além do bronze nas provas de Estrada e Contra Relógio, também no Campeonato Brasileiro da categoria.

Filipe Magela, que compete na handcycle há menos de um ano, pedalou pela classe H5 e garantiu a prata. Só no ano passado ele foi campeão paulista, vice-campeão brasileiro e ficou na terceira colocação no ranking brasileiro.

Fabio Faborges competiu pela classe H4 e garantiu a medalha de prata. Faborges é atualmente campeão paulista de Paraciclismo, terceiro lugar na Copa Brasil de Paraciclismo e campeão da Maratona São Paulo City e bronze na Maratona de Nova York 2017. Além da handcycle, ele é um dos principais goleiros de handball de cadeirantes no Brasil.

 

Atleta Rebeca posa no pódio mostrando sua medalha. Ela está na cadeira de rodasO handcycle ou handbike é praticado por atletas que não têm os movimentos nos membros inferiores (paraplégicos e tetraplégicos), e impulsionam as bicicletas adaptadas (handbike) com os braços. O equipamento tem o mesmo princípio de uma bicicleta comum, considerando algumas características próprias: três rodas para manter o aparelho estável no chão quando não está em movimento, freio de mão na roda dianteira e para-choque para proteger de uma batida entre duas handbikes em uma corrida, evitando acidentes.

Entenda a classificação funcional do paraciclismo

Tandem B1 / B2 / B3

Este grupo inclui atletas que possuem qualquer limitação visual.
Esta classificação é baseada na visão remanescente, de acuidade e/ou campo.

Ciclismo

 C1: Este grupo inclui atletas com bicicletas, que tenham espasticidade severa, deambulação sem auxilio, amputação com ou sem uso de prótese.

C2: Este grupo inclui atletas com bicicletas, que tenham espasticidade moderada, acometendo principalmente os membros inferiores, amputação com diversas combinações, com ou sem uso de prótese.

C3: Este grupo inclui atletas com bicicletas, que tenham espasticidade moderada, acometendo principalmente os membros inferiores, amplitude de movimento limitada, amputação simples ou dupla, com ou sem prótese.

C4: Este grupo inclui atletas com bicicletas, que tenham espasticidade leve, dificuldade de controle de guidão, amplitude de movimento limitada, amputação simples ou dupla, com ou sem prótese.

C5: Este grupo inclui atletas com bicicletas, com menor comprometimento motor, pequenas incapacidades, amputação simples, com ou sem uso de prótese.

Atleta Maurício Dourado em competição na sua handbikeTriciclo

T1 / T2: Este grupo inclui atletas com triciclo, com instabilidade sobre uma bicicleta, com membros inferiores e superiores comprometidos, que necessitam ou não de auxilio para deambular.

Handbike

H1: Este grupo inclui atletas com handbike, com tetraplegia C6 ou acima, e grave atetose, ataxia, distonia. Perda de controle do tronco e pouca funcionalidade dos membros superiores, extensão limitada do cotovelo, quadriplegia simétrica ou assimétrica, espasticidade nos membros superiores e inferiores.

H2: Este grupo inclui atletas com handbike, com tertraplegia C7/C8, e grave atetose, ataxia, distonia. Perda total da estabilidade do tronco e da função do membro inferior, quadriplegia simétrica ou assimétrica, espasticidade nos membros superiores e inferiores, com no mínimo grau 2 de espasticidade.

Filipe empurrando sua handcycleH3: Este grupo inclui atletas com handbike, com paraplegia com estabilidade de tronco muito limitada, quadriplegia moderada com ou sem atetose e ataxia, hemiplegia severa, diplegia grave e deficiências neurológicas.

H4: Este grupo inclui atletas com handbike, com paraplegia sem função dos membro inferior, ou muito limitada, estabilidade normal ou quase de tronco, diplegia e atetose, ataxia, distonia, hemiplegia com espasticidade.

H5: Este grupo inclui atletas com handbike, com paraplegia, amputação unilateral ou bilateral, perda incompleta do membro inferior, hemiplegia com espasticidade, diplegia, leve atetose ou ataxia moderada.

Fábio Faborges em sua handbikeSobre o Projeto Próximo Passo

O Projeto Próximo Passo do Instituto Mara Gabrilli tem o objetivo de estimular atletas do esporte de alto rendimento e oferece estrutura para os treinamentos e suporte técnico, por meio do apoio de empresas que acreditam no esporte como instrumento facilitador da inclusão de pessoas com deficiência. Atualmente, a ação apoia 27 atletas, divididos nas modalidades de natação, paraciclismo, remo, jiu jitsu, tênis de mesa, ski cross country, atletismo, tiro esportivo, rugby em cadeira de rodas e paratriathlon.

Patrocinadores do Projeto Próximo Passo:
– Toyota
– SESVESP

Parceiros:
– LATAM
– Bodytech
– ASID
– METRA

 

Fotos: CS Fotografia

 

 

 

 

Instituto Mara Gabrilli